Dicas

DICAS COMPLEMENTARES

1) Cães adultos devem fazer duas refeições por dia, ao passo que filhotes (até um ano), três ou quatro, a fim de manter sempre elevados os níveis de glicose no sangue.

2) Nunca deixe alimentação disponível o dia inteiro. Estabeleça horários para as refeições. Caso o cachorro não queira comer, não relute. Retire o prato e só o reapresente na refeição seguinte. Sabemos que dá pena, mas o cão deve compreender que a alimentação deve ser valorizada.

3) Nunca dê comida caseira. A comida feita para o consumo humano até pode ser saudável para você, mas possui condimentos que podem ser tóxicos para os nossos amiguinhos latidores, como a cebola, o sal em excesso e alguns tipos de gordura. Caso você opte por alimentação natural, procure um profissional capacitado, que possa dosar a quantidade de nutrientes de forma adequada.

4) Aconselhamos ainda o acréscimo de alguns tipos de frutas na dieta do seu animal, como melão, banana, mamão, caqui, pêssego e ameixa (natural), todas sem semente. As frutas, além de fornecer glicose e vitaminas, também hidratam o corpo e lubrificam o intestino do animal. Castanhas e amendoins também são permitidos, embora em quantidades menores.

5) Jamais dê uva, passas, carambola, cebola, macadamia, doces, pizza, leite, refrigerante, bebidas alcóolicas e pães de uma forma geral. Estes alimentos são altamente prejudiciais aos nossos peludinhos.

6) Deixe sempre disponível para eles um vasilhame com água. Mas lembre-se que, assim como nós, os nossos docinhos de quatro patas também são suscetíveis a bactérias. Por isso, dê sempre água filtrada, e a troque várias vezes ao dia. No verão, de preferência, água gelada.

7) Cuidado com as crianças. Apesar de bem intencionadas, elas podem causar sérios danos os nossos bichinhos, como pisá-los ou derrubá-los. Se o filhote ainda não estiver totalmente vacinado, peça sempre que elas lavem as mãos antes de qualquer contato. E mesmo na fase adulta, peça que se sentem no chão antes de pegá-los no colo. Assim é mais fácil prevenir doenças e acidentes.

8) Nunca deixe o seu cachorrinho em lugares altos. Eles são impetuosos, e sem muita noção de altura. O risco de ele pular é bem grande, e isso pode causar a quebra de algum dente ou patinha. Por isso, nunca confie no bom senso de um cachorrinho, e jamais o coloque solto sobre mesas, cadeiras, ou superfícies que tenha mais que o dobro da estatura dele.

9) A necessidade de banhos varia de acordo com cada raça. O excesso pode tirar a proteção natural dos cachorros e até provocar doenças de pele. No caso dos spitz, o aconselhável é um banho a cada três ou quatro semanas. Já os malteses, o espaçamento pode ser menor: um banho a cada dez ou doze dias. Isso não quer dizer que o seu docinho não precise de higienização constante. É preciso manter sempre em dia as tosas higiênicas e a escovação semanal. Aproveite o processo de escovação para observar se há micoses na pele sob o pelo, carrapatos ou algo estranho. Seja minucioso.

10) Assim como as crianças, cachorros não devem ter acesso a produtos de limpeza (produtos químicos em geral). Também tenha cuidado com fios soltos, panelas e pratos quentes, bem como plantas e animais tóxicos, a exemplo de alguns tipos de sapo.

11) O focinho dos cachorros atua como indicador de temperatura. Se estiver seco, pode indicar sede ou até febre. Fique atento.

12) Evite deixar o seu amigo sozinho. Caso você não tenha opção, procure compensar a sua ausência com a presença de outro cachorro, de preferência do sexo oposto para evitar desavenças. Por isso aconselhamos sempre a aquisição de pelo menos um par. Em último caso, deixe a televisão ou o som ligado, em volume moderado. Isso ajuda a passar o tempo e corrobora com bom comportamento do animal.

13) Brinquedos também são bem-vindos. Além de contribuir para diminuir a ansiedade, atuam como moderadores de comportamento. Tenha sempre por perto brinquedos que possam ser mordidos. Os móveis e calçados da casa agradecerão. Evite os de corda ou que tenham peças pequenas. Os mais apropriados são os de nylon rígido.

14) Assim como as crianças, cachorros também precisam ser educados. Mantenha uma comunicação direta com o seu cão, sem hesitações que possam confundi-lo. Chame a atenção dele sempre que preciso, e o recompense com carinho quando ele fizer a coisa certa. É preciso que ele compreenda – de uma forma clara – quem manda em quem. Nunca recorra à violência e a maus tratos como método pedagógico. Às vezes demora um pouco, mas com técnica e persistência, o cão acaba compreendendo o que se espera dele.

15) Não queira humanizar o seu bichinho. Cachorro precisa roer osso, cavar na areia e brincar. Premie o seu amiguinho com estes pequenos prazeres sempre que possível. Eles também adoram passear e a companhia dos donos. Desenvolva brincadeiras e atividades físicas. Isso desenvolve a cognição e deixa o seu peludinho mais inteligente. Lembre-se sempre de que cachorro cansado é cachorro feliz. O ato de roer osso ajuda na limpeza e troca dentária.

16) Procure desde cedo socializar o seu filhote. Coloque-o na presença de pessoas e de outros cães do mesmo porte sempre que tiver oportunidade. Cães reagem a estímulos. Cada ambiente ou situação nova provoca nele uma reação diferente. Por isso é importante expô-lo a maior quantidade de estímulos possíveis desde cedo (ambientes e odores novos), assim você poderá corrigir comportamentos indesejados ainda na fase infantil, e no futuro terá um cãozinho educado e obediente.

Esperamos que de alguma forma as informações contidas neste site tenham sido úteis. Se ainda assim lhe restar alguma dúvida, entre em contatos conosco que teremos o imenso prazer em auxiliá-lo. No mais, desejamos a você e ao seu docinho de quatro patas toda felicidade do mundo.

Docekilate Canil.

Site desenvolvido com o WordPress e customizado personalizado para nosso Canil.